quarta-feira, 29 de outubro de 2008





Método de emagrecimento visa o lado emocional

A obesidade é, atualmente, descrita como uma doença ou causadora de doença. Infelizmente, as duas coisas são verdadeiras.


Cada vez mais pesquisas comprovam que a obesidade é a grande causadora de sérios problemas para as pessoas. Os principais e mais preocupantes, são: a pressão alta, diabetes, doenças do coração e infarto.


Além de efeitos físicos, o sofrimento emocional é também uma das partes mais dolorosas desse processo, principalmente pela importância que a sociedade impõe atualmente sobre a beleza do corpo: e um corpo magro!


O fato é que a maioria das pessoas que sofrem com problemas de peso já passaram pela clássica situação do efeito sanfona, criando assim uma questão fatal: porque será que é tão difícil manter-se magro?

A resposta para isso vem de um fator importantíssimo: todo comportamento alimentar envolve questões físicas e emocionais, sendo estas das mais difíceis de mudar, contribuindo desta forma, com os freqüentes fracassos das dietas.


Hoje, existem métodos especializados para esse tipo de readaptação psicológico-emocional.


O programa de Reeducação Afeto-Cognitivo do Comportamento Alimentar (o RAFCAL) é um tratamento personalizado para atender aos aspectos comportamentais relacionados ao sobrepeso e obesidade.


O foco principal desse programa é o lado emocional da pessoa,é o paciente que se tornará autor de seu próprio emagrecimento, aprendendo a se responsabilizar pelo processo e deixar de pensar que é a gordura que se apropria dele, sem que ele possa fazer nada.


Com isso, a idéia é que a pessoa crie um comportamento magro, em que ela não se utilize da comida para compensar sentimentos – como o cansaço, estresse, solidão, raiva, entre outros – sejam eles bons ou maus.


Muitas pessoas não colocam seus sentimentos para fora e acabam engolindo tudo o que vêem pela frente, pela necessidade de sentir-se aliviada, compensada, feliz.


Partindo desse ponto, a psicologia pode contribuir para que as pessoas emagreçam, já que, nesse programa, o principal fator é o lado emocional.


Sílvia Luciana Kotaka
Psicóloga Clínica

38 comentários:

Flavia Almeida disse...

sim mudando as atitudes tirando a ansiedade perante a comida isso já ajuda bastante bjos

Dani disse...

Oi Luciana!!! Queria muito participar deste programa de reeducação... Pena que aqui na minha cidade ainda não conheço denhum profissional que possa me ajudar... Já faço terapia e isso tem me ajudado bastante...que pena que vc mora aí e eu aqui...
Sobre o outro post, isso acontece!!! Na net praticamente ninguém é de ninguém... E nada a impede de reescrevê-lo, afinal o tema é o mesmo...
Beijosssssssssss e muito obrigada por essas dicas maravilhosas!

Quica disse...

Oi Luciana!

Muito interessante esse texto. Eu desisti de fazer dieta e resolvi me transformar. Claro que não dispensei a nutricionista, simplesmente decidi prestar mais atenção em mim, e, surpreendentemente, a dieta está dando mais certo agora! :) Vou começar a fazer atividades físicas que me interessam mais (hidroginástica e dança do ventre) e só a alegria de saber disso já tem me ajudado bastante. Só assim para vermos o quanto a mente precisa estar saudável para que o corpo também esteja, né...

Beijos!

Tânia Sales disse...

Oi querida, estou de volta.
Eu engordava muito por ansiedade, meu ex namorada morava fora e eu compansava a saudade comendo... Como eu fui burra, nam... Mas agora aprendi, nada de compensar os sentimentos na comida! Bjus saudades.

Ale disse...

pior que é tudo verdadde.... eu até coloco tudo pra fora mas me cobro demais isso me deixa triste comigo mesma qdo fracasso e ai como que nem loca como se quisesse me auto sabotar de raiva. é um sentimento horrivel....
isso que tenho colesterol alto imagina 27 anos e assim :( aiai!! bjão

Danielle Balata disse...

Realmente, mudando algumas coisas no seu jeito de encarar a vida.. e principalmente os problemas que ela nos oferece.. você tende a ter uma R.A mais tranquila..

Beijos

Ale disse...

oii e vc acha que quem poderia me ajudar? tem alguma dica? psicologo, psiquiatra, endócrino, nutri? bjs obrigado pela força

Ale disse...

eu vo tentar... não sei se meu convenio cobre... e caso não cubra terei que ver se meu marido pode arcar com consultas ... mas obrigada pela dica... um bj!!!!

Ale disse...

Curitiba!!!! se vc quiser me add no msn assim a gente se conhece.. e mantemos contato... !!!!
alexandrak.jr@hotmail.com

Aret@ disse...

É a ansiedade acaba com qualquer dieta, sou muito ansiosa... tento mudar, mais é complicado!

Amei a postagem, beijos e ótima quinta!!!!

Juh disse...

ola Luciana!!
obrigada por todo o apoio sim vou mandar-lhe um email a contar toda a situação que se tem passado cmg e fico a espera de sua opiniao!!
OBRIGADA POR TUDO!!!

adorei o que escreveu e isso é mesmo verdade apesar de nao ser obesa sinto mts desses sintomas na minha pessoa!!!

beijao

JUh

Renata disse...

Eu descontava tudo na comida, e pior me sentia duplamente culpada, pelos problemas e excesso de peso. Tive problemas emocionais na adolescencia, foi onde engordei, lembro que um dia no meio de uma crise emoconal comi uma panela de arroz puro, o emocional tem que ser muito bem trabalhado realmente.
Mas agora já estou me controlando muito bem, graças a Deus.
Bjim
T+

vani disse...

Oi Luciana

As vezes comigo acontece exatamente isso, como para aplacar aquela tristeza ou ansiedade, mas tô aprendendo a me controlar aos pouquinhos
beijos

SENHORITA ALFACE CRESPA disse...

Adorando os posts sobre comportamento magro...um melhor q o outro!!!É fato, me sinto emocionalmente mais feliz qdo estou magra!!!

Dani disse...

Obrigada pela dica, Luciana! Vou ver se compro o livro!
Besitos!

Caixinha Slim da Ci disse...

Lu, muuuito obrigada pela ajuda!! Vou procurar ela assim que conseguir meu dinheirinho abençoado de todo mês... =D

Eu adoooro ler seus posts, me dão muita força e me faz refletir certas coisas que estão na cabeça da gente, so que nem paramos pra pensar ne... muito obrigada!

Musa disse...

Já atauquei muita comida por ansiedade, nervoso, saudade, etc. ou seja comia sentimentos, me sentia melhor comendo doces, pacotes de biscoitos. Hoje consigo me controlar, e aundo bate a vontade, leio um livro ou vou passear com o filhote. Estou procurando ajuda profissional também, pois às vezes a vontade fala mais alto.

Beijinhos

~~ Sereiah ~~ disse...

É verdade: a obesidade é uma doença que leva a uma série enorme de doenças! Só da gente entender o porque "vive prá comer" a gente já passa a ter outra visão da coisa! Eu "já vive prá comer". Agora, "como prá viver"! Bjks

Fênix disse...

Obrigada pela visita.
Bjs e seja sempre bem vinda ao meu cantinho.

cindy disse...

OI! te achei no album da nossa amiga alface! posso te add??????
bjsssssssssssssssss

Pepi disse...

Li a Reportagem..adorei.!!!! bj Ale

Musa disse...

Oi Luciana, muito obrigada pelo apoio.
Bem, vamaso lé: moro em Barueri, mas faço tudo na região Oeste (Pinheiros, Lapa, Osasco), pois trabalho próximo. Tenho tratado ele com pneumo e otorrino no Hospital São Camilo - Pompéia. Ele tem as complicações respiratórias devido ao refluxo.

Se puder me ajudar ficarei grata.
Hoje ele já amanheceu um pouco melhor.


Beijinhos

..... Kécia ..... disse...

Olá Luciana!!! amei as dicas aqui do seu blog; gostaria de permição para copiar algumas matérias para divulga-las em meus blogs.

Aguardo resposta


Beijos e um otimo fim de semana

Kamila - My life is brilliant disse...

Ai amiga, amei o artigo. Acho que os dois lados sao reias. Voce come por que esta deprimido ou se deprime porque esta acima do peso...

Alias, a maioria dos problemas da sociedade, penso eu, sao emocionais, falta de estrutura emocional.

Beijos, bom final de semana !

A. Valentinna disse...

Nossa como essa nossa relação com a comida é dificil né? tem pessas que sentem aversão. outras exageram... sempre há alguem com problemas com esse quesito... parece que a comida tem um efeito de dominação no ser humano rs ah lu obrigado pela dica para os pés estou fazendo toda as noites e água sempre adorei o artigo parábéns bjão

Liza disse...

Bomm findi. Beijinhos

Juliana Viruel disse...

Esses seus post me fazem ficar com mais vontade de voltar pra terapia... mas financeiramente agora não dá. Vou colocar isso como objetivo de 2009, colocar isso no orçamento. Vou tentar arrumar uma que atenda pelo meu plano de saúde pra cobrir pelo menos uma consulta por mês, já que agora podemos fazer doze consultas por ano (não é isso)?

beijos sem compulsão

Anabela disse...

Querida Lu,
Já li e ouvi isto da minha psicoterapeuta...
Faz todo o sentido
Amei o texto e é sempre bom ler-te!
Beijos de carinho

zizi disse...

Olá Luciana.
Obrigada por sua visita em meu blog, foi uma honra.
Sem réstia de dúvidas, a forma como administramos as emoções vão dizer muito sobre o sucesso ou o fracasso da RA.
Penso q o "comportamento magro", ou seja, o daquele q busca o equilíbrio e não somatiza as emoções e se refugia na comida, deve ser um objetivo a ser alcançado.
Acredito q sua contribuição ao nosso grupo,o das blogueiras que almejam mudar para melhor em todos os sentidos, será uma aliada nessa tão grande batalha.
Um grande abraço da Zizi.
Vou te linkar, certamente.

Musa disse...

Oi Luciana, estou de volta.

Obrigada pelo apoio, também trato meu filho com homeopata, não citei anteriormente, ele faz acompanhamento mensal desde nov/07.

Acontece que "EU" tenho deixado a desejar no tratamento, às vezes me esqueço de ministrar os glóbulo, mas vou me policiar melhor quanto a isso, pois depois da homeopatia, as crises dele são mais fracas e ele se recupera mais rápido. Faço também inalações homeopáticas, nunca uso aqueles medicamentos fortes.

Beijinhos

Leila Diniz disse...

. oi Luciana, estou bem melhor que semana passada, como meu post de hoje pode comprovar, obrigada pelo apoio e incentivo no momento 'deprê', foi fundamental para minha recuperação e retomada das 'rédeas' da RA, como vc pode perceber no meu post de hoje.

. vamos seguir com determinação no compromisso de emagrecer, nessa luta árdua e diária contra a balança.

. beijinhos mil.

. fique com DEUS.

Taty disse...

Olá. boa tarde.
Mudar os hábitos é muito difícil. E deixar de comer sentimentos, também.
É um processo longo e lento. Persisto nesse caminho...Espero chegar lá.
bj

Denny disse...

Realmente a questão do sofrimento psicológico é uma realidade muitas vezes brutal. Muitas de nós criamos uma certa dependência psicológica da comida, e quando se entra numa dieta, essa falta causa dificuldades muito grandes.

Esse tipo de tratamento que prioriza o afetivo deve ser e malhor alternativa para casos assim, gostei!


Bjão, ah, te ADD lá!


FUIZ...

Leila Diniz disse...

. Oi Lú, tudo bem por ai? Amiga estou fazendo visitinhas, não esqueça UM DIA DE CADA VEZ e nunca é demais agradecer, então: obrigada por sua amizadeeee, ela é muito importante para mim.

. hoje falei sobre o chá vermelho em cápsula (comecei a tomar hoje) e coloquei fotinhos no meu blog, aparece por lá.

. quanto ao chá vermelho comecei a tomar as cápsulas hoje, já foram duas, a 3ª vou tomar as 18:15hs. vou contando no blog a evolução.

. vamos seguir firmes hein! o Natal está ai.

. beijinhos mil.

. fique com DEUS.

perdi100gramas disse...

Oi Luciana :) Eu já faço terapia, mas uma abordagem direcionada assim seria o ideal pra ajudar meu processo de emagrecimento. Pena que aqui em Goiânia é muito difícil de encontrar profissionais da área cognitivo-comportamental.
Vc é de Curitiba né?
Beijinhos!
Nanda

Monica Loureiro disse...

Adorei este post...Recentemente eu estava tendo um "caso' com um bolo de banana com canela que a moça que trabalha aqui em casa fazia, mas resolví terminar isso...
Todas as frustrações eu compensava com o tal bolo .

Greice disse...

Oi Luciana, vim lhe agradecer a visita e aproveitei para conhecer seu blog. Nossa adorei..aos poucos vou lendo tudo..claaaarooo..que estou tentando emagrecer e acredito que seus textos iram me auxiliar.
beijos

www.sualista.com.br disse...

www.sualista.com.br