quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Estudantes lançam guia alimentar em forma de quebra-cabeça




Um quebra-cabeça para ser montado durante todo o dia. Essa é a proposta do recém-lançado Meu Dia Alimentar, uma espécie de guia interativo que ajuda crianças e pais a descobrirem o melhor caminho para uma alimentação saudável.


Baseado em uma dieta de 2 mil calorias, o jogo é formado por pecinhas coloridas - cada cor representa um grupo alimentar - com nomes e ilustrações de alimentos, e por um tabuleiro quadrado onde as peças devem ser encaixadas. O objetivo é completar o tabuleiro ao final do dia, tendo comido a quantidade necessária para cada um dos 9 grupos alimentares.



O projeto foi idealizado pelos estudantes Gabriela Bizari, de Nutrição, e Adriano Furtado, da área de Design, ambos da Universidade de São Paulo (USP). Para Gabriela, o quebra-cabeça se difere da tradicional pirâmide alimentar. "Nossa versão também é uma representação gráfica, traz as mesmas recomendações, só que de forma interativa e intuitiva", explica. A estudante esclarece que o jogo, no entanto, não dispensa o acompanhamento de um profissional, que é quem deve orientar sobre a dieta de cada criança.



Ela conta ainda que uma peça-chave para a alimentação foi colocada no centro do tabuleiro: a água. "As crianças só podem encaixar a peça se tiverem bebido dois litros por dia", explica ela, que incentiva o consumo de água. "Não se pode esperar ter sede para beber. A sede já é sinal de desidratação".



O jogo foi testado em uma escola particular com crianças de 7 a 10 anos. "Percebemos que as crianças gostam de falar sobre alimentação e tiraram conclusões importantes para a nutrição como a importância de fracionar as refeições, de três em três horas", diz. Embora tenha interface apropriada para os pequenos, o quebra-cabeça pode ser usado por pessoas de qualquer idade.



Ela também conta que a baixa porção de açúcares e óleos recomendados pelo jogo não foi um susto para as crianças, apesar de estarem habituadas a comer doces e gorduras. "Quando eles olham para o tabuleiro e veem que podem comer uma porção de óleo e de açúcar, ficam muito felizes. Temos que acabar com a ideia da proibição. Trabalhamos com eles qual o melhor momento para consumir esse doce, por exemplo".



O quebra-cabeça já pode ser adquirido pelo site do projeto. Os idealizadores também pretendem lançar em novembro um aplicativo gratuito com a mesma proposta. De acordo com Gabriela, a plataforma online permitirá ainda o contato direto do usuário com um profissional de nutrição e o acompanhamento diário da dieta.



Autonomia



Para o diretor do Departamento de Nutrologia Pediátrica da Associação Brasileira de Nutrologia, Carlos Alberto Nogueira de Almeida, a educação nutricional para os pequenos é preciosa. "São necessárias informações que as próprias crianças possam usar. Se elas tiverem autonomia, podem ser partícipes do processo de nutrição", explica.



De acordo com o profissional, a dica para os pais que querem uma alimentação saudável para as crianças é buscar informações e, eventualmente, ajuda profissional. De modo geral, é sempre importante ter uma alimentação variada e fracionada em 5 ou 6 refeições. "Comer frutas, verduras e legumes, reduzir ao máximo os industrializados e controlar o excesso de sal e açúcar", recomenda.

Júlia Marques

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Não Sou Exposição




A imagem é impactante, até pensei em não postá-la.
Mas ela ilustra o que está acontecendo com milhares de crianças e pré-adolescentes ao redor do mundo. A dor de detestar a própria imagem é invisível, porém danosa e presente.
E foi isso que aconteceu com você também, mulher adulta.
A profunda insatisfação corporal, a emergência de transformar as formas do corpo, emagrecer mesmo quando não existe necessidade, ser "mais bonita", ser mais "aceitável"... Olhar no espelho e automaticamente pensar em centenas de modificações "necessárias":
Todos esses sentimentos foram PLANTADOS na sua mente e no seu coração como sementes tóxicas. Originalmente, não eram seus.
As sementes crescem, germinam. O resultado é uma multidão de lindas jovens que não conseguem enxergar sua própria luz, e não se sentem felizes habitando o próprio corpo, corpo este, que é saudável, apto e PERFEITO.
Não permita que lhe arranquem mais pedaços.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Reforços no tratamento da obesidade




Liraglutide pode ser aprovado para o tratamento da obesidade até o final de outubro, nos EUA. Contrave foi aprovado na última quarta-feira (10)
Reforços no tratamento da Obesidade

Liraglutide pode ser aprovado para o tratamento da obesidade até o final de outubro, nos EUA. Contrave foi aprovado na última quarta-feira (10).

A droga é uma combinação de duas drogas já aprovadas para outras indicações: cloridrato de naltrexona, que é usado para combater o álcool e dependência de opiáceos, e bupropiona, que é usado no tratamento da depressão e transtorno afetivo sazonal e como uma ajuda para tratamento do tabagismo. 

O FDA disse que Contrave foi aprovado para uso em adultos obesos (IMC de 30 ou mais anos) ou adultos com sobrepeso (IMC de 27 ou mais), com pelo menos uma condição relacionada com o peso, tais como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, ou elevado colesterol.

Obesos podem ter mais um medicamento à disposição para o tratamento da obesidade. Um painel consultivo do FDA – Food and Drug Administration, dos EUA, realizado na tarde desta quinta-feira (11), votou por 14 a um pela recomendação do Liraglutide (conhecido pelo nome comercial e Victoza, usado no tratamento do diabetes tipo 2) para o tratamento da obesidade, e concluiu que a sua administração é segura e eficaz em pacientes cronicamente obesos com pelo menos um problema de saúde relacionados com o peso. 

A FDA normalmente segue as recomendações de seus painéis consultivos. Pouco antes da votação, foi apresentado um estudo que mostrou que metade dos obesos perdeu pelo menos 5% do seu peso corporal com a administração diária 3 mg do medicamento é injetável, enquanto 22% perderam mais de 10%. A droga é proposta para uso em pacientes que também têm pelo menos uma outra condição relacionada com o peso, tais como a hipertensão, diabetes. 

O medicamento, se aprovado, deverá chegar ao mercado com o nome Saxenda. E deve competir no mercado americano o Contrave, aprovado pelo FDA para uso no tratamento da obesidade, na última quarta-feira (10). 

O FDA deve decidir pela aprovação do Saxenda até o final de outubro.

A Abeso – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica considera positiva a aprovação de novos medicamentos para o tratamento da obesidade. “Isso demonstra que os órgãos reguladores passam a aceitar a obesidade como doença. E como qualquer doente crônico, o obeso precisa ter acesso ao tratamento completo, incluindo administração bem indicada e acompanhada de medicamentos, quando necessário”, destaca a diretora da Abeso, a endocrinologista Cintia Cercato.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Emagrecer melhora saúde, mas afeta humor, indica estudo



Pessoas acima do peso que emagrecem têm mais probabilidade de se sentirem infelizes do que aqueles que se mantêm iguais, de acordo com um estudo.

A pesquisa observou 1,9 mil pacientes britânicos acima do peso com mais de 50 anos, aconselhados a perder peso por questões de saúde.

O estudo, publicado na revista científicaPLOS One, afirma que pessoas que perderam mais de 5% de peso ficaram mais saudáveis, porém mais propensos a sentir mau humor.

A equipe da Universidade College London (UCL) afirmou que quem estiver tentando perder peso deve procurar o apoio de amigos e profissionais de saúde, caso sinta necessidade.

Os pacientes foram observados durante quatro anos, ao longo dos quais tiveram monitorados peso, pressão sanguínea e nível de lipídios no sangue.

As 278 pessoas que emagreceram também registraram queda na pressão e no nível de lipídios.

Quer emagrecer? Então fique sabendo75 fotos

75 / 75
Amplamente divulgada na época, a orientação de 2.000 calorias é considerada até hoje, mas as orientações atuais de exercícios do governo federal dos EUA, baseadas num vasto conjunto de evidências científicas recentes, enfatiza tempo, e não calorias ? e recomenda que adultos saudáveis pratiquem 150 minutos semanais de exercícios em intensidade moderada, como caminhadas leves ou ciclismo Leia mais Thinkstock
Obstáculos da dieta

Mas também tiveram uma probabilidade 50% maior de se sentir tristes, em comparação com aqueles que mantiveram o mesmo peso.

Para os cientistas, isso poderia ser explicado pelas dificuldades de se manter uma dieta, como por exemplo resistir a beliscar e evitar encontros com amigos que envolvam refeições.

"Não queremos desestimular as pessoas a tentar perder peso, porque isso traz enormes benefícios de saúde. Mas as pessoas não devem ter a expectativa de que emagrecer vai imediatamente melhorar todos os aspectos de suas vidas", afirmou a doutora Sarah Jackson, que coordenou a pesquisa.

A médica criticou a publicidade de marcas de dietas que criam "expectativas irreais" sobre emagrecimento.

Segundo Jackson, a publicidade também promete a melhora em outros aspectos da vida.

Especialistas dizem que é comum o humor melhorar depois que as pessoas atingem as suas metas de peso e passam a mantê-lo.

Por isso, eles recomendam que quem entre em dietas de emagrecimento se mantenha atento aos efeitos físicos e psicológicos disso.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Sertralina Emagrece?




Muito se tem questionado a respeito da possível indicação dos medicamentos antidepressivos sertralina e fluoxetina para combater a obesidade e nos processos de emagrecimento.
Muitas pessoas relatam o emagrecimento associado ao uso dessas substâncias, o que leva, erroneamente, muitas outros a buscarem estes medicamentos como auxiliares no tratamento da redução do peso.

Respondendo a questão proposta, a sertralina não emagrece. O cloridrato de sertralina, ou sertralina como é popularmente conhecido é um antidepressivo, e a sua indicação como remédio para emagrecer não conta com nenhuma base científica, sendo o seu uso indicado no tratamento de pacientes com depressão severa, transtorno do stress pós-traumático, transtorno associado a TPM, transtorno obsessivo compulsivo, fobia social, distimia (depressão moderada e crônica), transtorno do pânico, entre outras patologias desta ordem.
A sertralina é comercializada no Brasil com o nome de Zoloft, Assert, Sercerin, Novativ, Tolrest, Serenata, Sertralin e Dieloft tpm, e em todas essas formas, não há nenhuma indicação dos fabricantes quanto ao seu uso para o emagrecimento, e a droga possui contraindicações como náuseas, falhas na ejaculação, diarreia, boca seca, sonolência, vertigens, tremores, diminuição da libido e em alguns casos pode haver a ocorrência de tentativa de suicídio associada ao uso da sertralina.
Como se percebe, sendo um anti depressivo a sertralina atua diretamente no cérebro humano, e seu uso não está associado ao emagrecimento. A única hipótese plausível para justificar a associação da sertralina ao emagrecimento dos pacientes, é que ele inibe os transtornos compulsivos e diminui a ansiedade. Esses dois fatores podem levar o paciente a se alimentar de forma mais comedida, mais tranquila, resultando no seu emagrecimento, que no caso é apenas uma possibilidade, e nunca um objetivo do medicamento.
Para quem está querendo um medicamento para auxiliar no processo de emagrecimento e diminuir a ansiedade, existem atualmente no mercado uma grande numero de produtos, submetidos a estudos científicos e com eficácia comprovada, que podem auxiliar a obter esses efeitos.São produtos fitoterápicos, que podem, sob orientação médica, serem manipulados em farmácias naturais, associando duas ou mais substancias, que vão auxiliar a diminuir a ansiedade, inibir o apetite, reduzir a absorção de calorias e também transformar as calorias, ou seja, as gordurinhas indesejadas em energia. Através da manipulação de substancias fitoterápicas é possível associar todos esses fatores em capsulas, que não vão lhe trazer efeitos colaterais da magnitude dos remédios antidepressivos, que além de não serem indicados para o emagrecimento, também podem causar dependência.
Beleza e saúde não podem ser desassociadas.