quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PANQUECA COM 2 INGREDIENTES




Receita da minha querida amiga Nutricionista Elisabete Porfírio




1 banana
2 ovos
Bata no liquidificador ou mixer, aqueça uma frigideira antiaderente com um fio de azeite e despeje a massa. Quando a massa começar a ficar furadinha está na hora de virar, assim que dourar a panqueca está pronta, repita o processo até terminar a massa. 
Dicas:
Use uma banana não muito madura
Eu coloco 1 colher de farelo de aveia
Incremente com o que quiser: noz-moscada, canela, uma pitada de sal
Rende 3 panquecas pequenas

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

PETISCOS DO BEM: DICAS SAUDÁVEIS PARA FOME REPENTINA


S


A famosa “petiscada” é um dos inimigos de uma alimentação saudável. Salgados, doces, refrigerantes e outras guloseimas são opções para comer durante um filme ou no trabalho, quando a fome bate. Mas saiba que elas não são as únicas: você pode manter este hábito se escolher os alimentos com pouco açúcar e gordura, ricos em nutrientes e com baixa caloria.

Quer exemplos para variar e comer petiscos saudáveis? Eles podem ajudar a manter os hábitos saudáveis pós-cirurgia bariátrica e se preparar para a mudança de vida durante o pré-operatório.

Ah, e lembre-se: nada substitui uma consulta com seu médico ou o acompanhamento de um nutricionista!

246Crocantes:
- Maçãs e bastonetes de pão;
- Cenouras e aipo em bastonetes;
- Abobrinha em rodelas;
- Rabanetes picados;
- Couve-flor cortada;
- Brócolis cortado;
- Biscoitos de arroz sem sal.

247Para mastigar:
- Semente de girassol sem sal;
- Torradas ou pães integrais;
- Tomates cerejas;
- Queijo sem ou com pouca gordura;
- Iogurte sem ou com pouca gordura;
- Amêndoas sem sal, nozes e outras frutas secas.

249-BXDoces:
- Frutas em conserva sem açúcar;
- Pequena fatia de bolo dos anjos;
- Maçã cozida;
- Uvas-passa;
- Gelatina diet de frutas secas;
- Bananas geladas;
- Uvas geladas;
- Frutas frescas;
- Iogurte de frutas sem açúcar e gordura ou com pouca gordura.
5Para matar a sede:
- Leite sem gordura;
- Sucos naturais sem açúcar;
- Suco de tomate com pouco sódio ou suco vegetal;
- Água.



quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pratique saúde e não excessos



Atividade física pode causar sérios problemas de saúde quando não há equilíbrio
o-colesterol-e-a-atividade-fisica-1-4-248
por Luciana Kotaka
 Dia de Sol dá mais vontade de se cuidar, a chegada do verão faz com que muitas pessoas saiam da zona de conforto e corram atrás do peso acumulado durante o inverno. Nada melhor do que se exercitar para manter a saúde e o corpo em dia, mas será que funciona bem quando o objetivo principal é o peso?
Claro que funciona, desde que não saiamos numa busca frenética atrás de resultados pois todo processo demanda tempo e sabemos que o equilíbrio é tudo nesse processo. Os excessos são cometidos quando não há total consciência de que precisamos seguir um protocolo, que mudanças no peso envolvem alimentação e também emoções e ações equilibradas.
Já ouvi muitas pessoas se machucarem por não respeitarem os limites do corpo mesmo quando avisadas, porém estão tão fixadas na ideia de alcançar um tempo determinado na corrida, ganhar massa muscular ou mesmo perderem peso que desprezam as orientações dos treinadores.
Quem conhece o corpo somos nós, precisamos estar atentos aos sinais de cansaço, estresse muscular, dores, pois dessa forma podemos evitar traumas desnecessários. Teve um dia que eu estava treinando e senti dores ao fazer um exercício de braço, na hora conversei com o meu treinador e ele abaixou o peso.
Veja, se sabemos identificar o que nos faz mal devemos respeitar os limites do corpo, dessa forma fortaleci melhor a musculatura e assim pude mudar o peso.
Fica claro dessa forma que todas as mudanças que formos fazer envolve ter autoconhecimento e cuidados, nada de correr atrás do prejuízo sem cautela, o mais importante em todo processo é o cuidado consigo mesmo.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Edulcorantes, afinal qual a verdade sobre eles.




por Luciana Kotaka
10676201_10152910626998319_7724398933024760629_n
Em mais um encontro de Blogueiros do Viva Positivamente tivemos o prazer de contar com a presença da Dra. Maria Cecília Toledo em um bate-papo sobre o assunto. Ela que é Doutora em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Brasil, com Pós-Doutorado em Toxicologia de Alimentos na Oregon State Universit, nos proporcionando a oportunidade de sanar várias dúvidas sobre o tema edulcorantes.
Afinal, o que são edulcorantes?
Muitas pessoas confundem o real significado do produto, então vamos lá:
São substâncias que apresentam alta capacidade em adoçar e são muito mais doces do que o açúcar tradicional. Podemos citar algumas, como aspartame, ciclamato, sacarina e steviosídeo.
“É por isso que precisamos verificar o rótulo dos produtos para verificar qual adoçante é mais adequado ao nosso organismo”.
No encontro ela nos conta que todos os edulcorantes foram testados exaustivamente a fim de comprovar que seu uso não traz nenhum malefício à saúde do ser humano, afinal as empresas têm esse cuidado com os seus consumidores.
Falando da empresa Coca-Cola ela nos conta que cada produto tem uma fórmula diferente, como o portfólio das bebidas aumenta cada vez mais, compreendem muito tempo para testar e aprovar cada um dos produtos. Alguns projetos levam de quatro meses a dois anos para serem desenvolvidos.
Existem vários centros de pesquisa no mundo e também em universidades para os testes das bebidas, no laboratório do Rio de Janeiro tem o SAC e o laboratório de embalagens.
Uma informação que achei bem importante é que não necessariamente o objetivo é reduzir o açúcar para se colocar adoçantes, pois caminham sempre utilizando novas tecnologias com essa finalidade, dependendo da quantidade a ser reduzida.
Outro aspecto interessante que a Dra. Maria Cecília colocou é que não existem adoçantes naturais, pois a partir do momento que um produto é retirado de seu local, como, por exemplo, a uva que é transportada, acondicionada e processada, deixa de ser natural. Porém não é porque um alimento é processado que faz mal ao organismo. Essa informação é muito importante, pois por vezes confundimos algumas informações por falta de um esclarecimento maior sobre o tema.
“Os alimentos levam aditivos porque é necessário para que se conserve mais tempo.”
Alguns produtos foram sendo modificados ao longo dos anos em busca de apresentar ao consumidor um produto mais natural e saudável, principalmente o Kapo, uma bebida para o público infantil. Essa bebida contém sucos necessários para atender a legislação e suco de cenoura roxa e amarela, dando cor a bebida, além de ser termicamente tratado para não levar conservantes. Os produtos são avaliados por nutricionistas e pediatras em busca de uma bebida adequada às crianças.
Saí desse encontro bem satisfeita com as informações recebidas e dúvidas que foram esclarecidas, afinal contamos com uma profissional de alto gabarito para esclarecer quaisquer dúvidas que tivéssemos.
Também tivemos a oportunidade de experimentar várias bebidas que foram produzidas e são vendidas em outras regiões e países, são todas deliciosas, claro que com características diferenciadas.
Obrigada a todos envolvidos na  organização do evento, a cada encontro me surpreendo mais!!!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Riscos da Obesidade Infantil por causa hereditária



Obesidade Infantil hereditária coloca crianças em risco precoce

A quantidade de crianças obesas mais do que dobrou nos últimos 30 anos e não mostra sinais de parar. Em parte, em razão da dieta sem restrições de fast food e açúcar, mas há os que são afetados por genes e os hábitos alimentares negligentes passados por seus pais. Pesquisadores da Universidade de Cambridge desvendaram respostas a perguntas complicadas sobre o quão forte é o peso da genética na epidemia de obesidade infantil. 

A saúde de crianças e adolescentes obesos é conhecidamente mais frágil. Eles não só são mais propensos a se tornarem obesos na idade adulta, mas também têm maior risco mais elevado de desenvolver de problemas de saúde na vida adulta, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2, derrame, vários tipos de câncer e osteoartrite, de acordo com os Centros para Controle de Doenças e Prevention (CDC). Se uma criança de 2 anos de idade já é obesa, ela tem em um alto risco de ser obeso para o resto de sua vida. 

Por que a obesidade é um diagnóstico tão perigoso, com risco de vida, especialmente para as crianças? Mais de um terço das crianças e adolescentes estava com sobrepeso ou obesidade em 2012, o que significa que é provável que eles venham a desenvolver diabetes, problemas nas articulações, apnéia do sono, problemas sociais e psicológicos, como estigmatização e baixa auto-estima, pressão arterial alta, colesterol elevado e maior risco paea acidente vascular cerebral. Quando os pesquisadores estudaram os genes de 3.031 crianças na Inglaterra, França e Espanha, a partir do nascimento até 5 anos de idade, eles descobriram que o risco começou cedo. 

Existem 16 tipos diferentes de alelos para risco de obesidade, que são os genes que tornam uma pessoa mais propensa a se tornar obesos. Os pesquisadores não encontraram alelos para risco de obesidade quando os participantes eram crianças, mas com o tempo, 2 ou 3 anos de idade, a gordura pós-natal aumentou o suficiente para levantar a bandeira vermelha. 

"Nossas descobertas sugerem que a susceptibilidade genética para a obesidade promove ganhos iniciais em peso e comprimento / altura que são aparentes antes da influência positiva sobre o IMC," os autores do estudo escreveu. "Essa premissa é fortemente apoiada pela nossa nova descoberta de associações positivas entre o pontuação alelo de risco a obesidade e massa e massa magra gordura, mas não a gordura corporal relativa, na infância e primeira infância. "

Os pediatras estão muito preocupados com o número de crianças que crescem com sobrepeso e obesidade, de acordo com a Academia Americana de Pediatria. Se a obesidade não é interceptada aos dois anos de idade, mesmo que ela siga com um crescimento saudável para a idade de quatro anos, as chances da criança se tornar obesa chega a 20%. Adolescentes com excesso de peso têm 80% de chance de se tornarem adultos obesos, o que é ainda mais assustador, porque não precisa nem ser obeso para ter as chances aumentadas. Essas crianças vão ficar sobrecarregados com uma vida inteira de problemas sérios de saúde. Mudança de hábitos, com a adoção de uma dieta equilibrada, ambientes e rotinas de exercício, vão ajudar a mudar a balança para uma faixa segurança, mas isso só irá ocorrer quando pais e médicos intervirem para ajudar a criança.