segunda-feira, 25 de maio de 2015

O corpo é meu, me deixe ser feliz


Estar acima do peso não é motivo para não ser amada

modelos-plus-size
Às vezes recebo em meu consultório pessoas que estão felizes com seus corpos cheinhos, mas vivem o drama de não serem aceitas por seus familiares e parceiros. Essa é uma questão muito séria, pois cada um tem o direito de manter-se do jeito que se sente bem.
A imagem corporal é uma representação mental que temos do nosso corpo, o conceito que cada indivíduo tem de suas partes. Porém, estamos expostos e vulneráveis á cultura do corpo belo, magro, que vem representada pela nossa interação com o ambiente, nos forçando a uma avaliação constante de como estamos, das nossas formas. A demanda social nos pressiona a ir em busca deste corpo dito perfeito, criando um desejo, uma busca desenfreada e surreal do corpo ideal.
O que mais me preocupa é a forma com que essa pressão acontece, parceiros insatisfeitos com o corpo que a mulher apresenta começam uma verdadeira tortura psicológica para que esta perca peso, pedindo que se pesem todos os dias pela manhã, controlando a ingestão de calorias e chegando a ameaçar o término do casamento, caso isso não ocorra.
Aí chegamos a um impasse muito sério, até que ponto se confunde amor e aparência? Ou melhor, até que ponto mulheres se sujeitam a serem avaliadas somente por seus corpos e não pela mulher que são suas características como pessoa, profissional, mãe? Como se autovalidar nesses casos?
Qualquer mulher acima do peso pode viver feliz em um relacionamento desde que escolha o parceiro correto, isto é, alguém que não valorize mais seu corpo a quaisquer outros aspectos de sua personalidade. Porém, não se assuste, parece que aqui entramos em um caminho de difícil escolha, mas na verdade não é somente em relação ao peso que precisamos escolher o parceiro certo, e sim para as diversas áreas que constituem um relacionamento, pois um homem que saiba amar de verdade e respeite as pessoas como elas são, irá com certeza olhar para a esposa através das características que esta apresenta, o contrário também é verdadeiro, das mulheres para com seus parceiros.
A autoestima acaba definindo muito o rumo das situações de nossas vidas, a partir do momento em que sabemos nosso valor e nos colocamos acima de qualquer situação que demonstre falta de respeito, seguiremos adiante em busca de relações melhores.
O corpo é seu, se ame e se respeite acima de tudo, pois independente de qualquer outro fator, o respeito começa com os limites que você impõe a tudo que diz respeito a si mesma.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Emagrecendo com prazer


images (35)
por Luciana Kotaka
Até parece que é uma brincadeira de mau gosto da minha parte, porém a proposta é real, por que não emagrecer com prazer?
Os termos dietas e regimes já estão ultrapassados há anos, porém existem muitas pessoas que insistem em continuar utilizando esses caminhos, pior, ainda correm atrás de novidades em revistas, dietas das celebridades, shakes, como se em algum momento pudessem encontrar o caminho mágico para emagrecerem e serem felizes.
Será que esse caminho existe mesmo ou é mais fácil não se responsabilizar pelas mudanças que são importantes realizar por si mesmas?
Sou mulher e entendo perfeitamente como é difícil lidar com a idade, com os hormônios e a TPM, não é bolinho não, temos que ser muito fortes para dar conta de cuidar do peso entre tantas variáveis a que estamos sujeitas, porém dietas seriam mais uma punição e claro que não conseguimos seguir por muito tempo, concordam?
Emagrecer é possível sim, com prazer em bem-estar, acreditem!
Alimentação faz parte da vida, precisamos nos nutrir da melhor forma possível para termos saúde, porém existem muitas ofertas de alimentos, a gastronomia vem se aprimorando a cada dia mais, não sendo justo nunca podermos nos deliciar com um bom prato de comida ou até uma saborosa sobremesa.
Então lhes convido a pensar de forma diferente, mudando hábitos aos poucos e aprendendo a temperar a comida com ervas, com amor e dedicação, só assim aprenderá que existem novos sabores, que além de saudáveis alimentam a alma sem engordar.
Para perder peso não precisa restringir tudo, ao contrário do que as dietas pregam, é possível sim diminuir os quilos que te incomodam diminuindo quantidades, mudando a qualidade dos alimentos ingeridos e se permitindo a pequenos prazeres.
Não é preciso pressa, aliás, sabemos que perder de forma gradual e devagar faz com que o corpo se adapte, sendo mais efetiva a manutenção do peso. Se ainda duvida do que estou dizendo, pare e pense há quantos anos vem brigando com a balança, enumere quantas dietas e/ou medicações, chás, já utilizou e não funcionaram?
Se dê uma chance de fazer corretamente, depois me conte se funcionou.

terça-feira, 31 de março de 2015

Medidas preventivas são bem-vindas, mas sem radicalismo.



É preciso cautela quando se tomam medidas preventivas quanto a obesidade infantil

compulsao ifantil
por Luciana Kotaka
Uma matéria publicada essa semana causou um grande frisson nas redes sociais, levando muitas pessoas a questionarem as medidas que estão sendo estudadas em território americano de Porto Rico sobre a possibilidade de multar pais que não consigam fazer seus filhos perderem peso. Na Inglaterra e em diversos estados americanos várias famílias estão recebendo cartas alertando que exames feitos na escola mostram seus filhos muito acima do peso.
São mais de 600 milhões de pessoas, ou 13% da população adulta do mundo, são obesas. A taxa mais que dobrou entre 1980 e 2014, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). O custo estimado disso para a economia global é de US$ 2 trilhões (R$ 5,6 trilhões). Só no Brasil a estimativa realizada em 2014  é que  a obesidade afete 39% das crianças brasileiras.
Fiquei apreensiva com essas medidas que visam multar pais que têm filhos acima do peso, vou explicar o porquê certa de que entenderão os riscos envolvidos nesse tipo de decisão.
Trabalho há anos com obesidade e transtornos alimentares, essas doenças vêm crescendo de forma alarmante, porém o que muitas pessoas não sabem e/ou não têm consciência é que medidas colocadas em prática por muitos pais podem agravar e desencadear sim essas doenças. Claro que existe uma série de disparadores envolvidos na obesidade e nos transtornos alimentares, como bulimia, anorexia e TCAP (Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica), porém as vivências da infância acabam sendo um grande  gatilho emocional que levam pessoas a exagerarem na alimentação.
Isso porque, nós humanos, temos limitações que são normais, pois quem é pai e mãe sabe que criar e educar um filho não é uma tarefa fácil, e mesmo eu, como mãe, enfrento situações que fogem da minha capacidade de mãe e preciso de ajuda e orientação. Desta forma é claro que não acertamos sempre!
A medida que vem sendo estudada em Porto Rico envolve muito mais do que uma simples multa aos pais, me questiono o que esse estado estará oferecendo a essas famílias além da punição. Claro que os pais são responsáveis pela escolha da comida que servem aos seus filhos, essa é uma questão real a ser debatida, porém existe uma situação ainda mais perigosa atrás dessa medida que é como esses pais agirão com os filhos? Terão esses pais palestras de orientação e acompanhamento dessas mudanças?
Essa questão é muito séria, pois recebo em minha clínica muitos pacientes que trazem marcas de épocas que foram tratados de forma desigual em casa, em relação aos irmãos, ou mesmo que eram punidos de forma verbal e física em função do peso apresentado. O inverso também acontece muito;, de pais assustados com a própria história de obesidade ou que valorizam muito o corpo magro a forçarem os filhos a aderirem às  dietas rigorosas e inadequadas para a idade deles.
As consequências da falta de orientação em que se trabalha as dificuldades e as limitações que uma pessoa acima do peso apresenta são sérias, e são marcas que se carrega para toda a vida, não ficam somente na infância. Por isso questiono, pois mesmo no Brasil em que essas medidas não existem já lidamos com esses estragos, imaginem só os pais recebendo multas sem ter uma devida preparação emocional para lidarem com os seus próprios conflitos e dos filhos.
Quando temos em casa um filho acima do peso o adequado é buscar oferecer comidas mais saudáveis sim e para todos da família, favorecer a atividade física que pode ser uma caminhada com o cachorro, andar de bicicleta, até atividades como natação, futebol, dança. Isto sempre realizado dentro de um contexto de equilíbrio, em que onde a criança precisa ter prazer em comer e de se exercitar, sem radicalismo, pois em uma festa infantil há doces, bolos e toda criança tem o direito de ser como as outras.

terça-feira, 24 de março de 2015

Overnights Oats – lanchinhos rápidos de frutas



Ingredientes
  • ¼ de xícara de flocos de aveia (ou flocos de centeio - quinoa - milho - granola - enfim.. o que preferirem)
  • ¼ de xícara de flocos de aveia (ou flocos de centeio -quinoa - milho - granola)
  • 1/3 de xícara de leite (você pode usar o leite que preferir integral
  • desnatado de soja ou de arroz)
  • ¼ de xícara de iogurte grego ou iogurte natural
  • 2 colheres de chá de sementes de chia
  • ¼ colher de chá de essência de baunilha (opcional)
  • 1 colher de sopa de mel
  • 1/3 de xícara de morango e banana em fatias
Você deve estar se perguntando o que é Overnights Oats, em tradução livre significa “aveia de um dia para o outro”. Você conhece a salada de pote, certo? Este lanchinho que, além de prático é supergostoso e saudável, é basicamente a mesma coisa das saladas de pote, só que com frutas e qualquer tipo de cereais de que você gostar (não é obrigado usar apenas a aveia). Vamos ver como se faz esta gostosura.

Modo de preparo

Em um pote com tampa ou copo de vidro, adicione aveia em flocos, leite, iogurte grego, sementes de chia, adoce a gosto (açúcar, stevia, mel ou use a essência de baunilha ). Feche o pote e agite muito bem, se preferir misture com uma colher.  Adicione as frutas e/ou geleias e mexa delicadamente.  Coloque na geladeira durante a noite e retire no dia seguinte. Durante a noite, a aveia e as sementes de chia irão absorver o líquido e suavizar os sabores. A textura e o sabor no dia seguinte ficam ainda mais deliciosos. O ideal é consumir o overnights oats no máximo em até 2 dias após a preparação.
Outra forma de montar esse lanchinho é fazer camadas, você pode fazer uma camada de iogurte grego e chia, outra de aveia, de leite e entre essas camadas colocar as frutas, algo para adoçar e granola.