quarta-feira, 6 de março de 2013

Dietas rígidas são contraproducentes


Sem uma reeducação alimentar e emocional, as dietas podem ter efeitos contrários aos desejados

por Luciana Kotaka
dietas efeito contraproducente Dietas rígidas são contraproducentes
Não faltam no mercado sugestão de produtos que auxiliam na perda de peso. Propagandas em revistas, sites, tudo é válido para levar ao grande público a tentar perder o peso indesejado. Os famosos chás, medicações e dietas, que oferecem a mágica do emagrecimento, sem ter um acompanhamento adequado e indicado.
Por outro lado, vemos a estatística a respeito da obesidade crescendo a níveis alarmantes, porém a falta de informação, ou muitas vezes a esperança de perder peso rápido acabam sendo o gatilho para se tentar emagrecer.

Quando fazemos dietas por conta própria, sem orientação nutricional, acabamos por tentar um caminho mais curto, porém passando alguns dias ou meses, acabamos recuperando novamente o peso perdido.

Além desse efeito sanfona que causa desânimo, o perigo está em desenvolver um quadro de obesidade maior, ou mesmo transtornos alimentares, como bulimia, anorexia e compulsão.

É fundamental a decisão de se iniciar a reeducação alimentar, pois regimes e dietas são contraproducentes, ou seja, podem ter efeitos contrários aos desejados. Então, faça certo desde o início. Tenha em suas mãos o controle da sua ingestão alimentar, pois comer é para se nutrir, e não para preencher um vazio ou um processo de ansiedade frente a outras situações a que possa estar exposto diariamente.

Portanto, o ideal é traçar metas realistas, para que a frustração não seja obstáculo frente a sua determinação de vencer. Emagrecer aos poucos é a melhor forma de manter o peso magro, lembrando que “dietas” ou “regimes’ restritivos levam a compulsão, atrasando seu objetivo inicial que é a perda de peso.

Quando as tentativas são seguidas de fracassos, acabamos nos desestimulando, com a autoestima prejudicada, tornando um ciclo vicioso. A perda de peso somente é efetiva, quando nos dispomos a realmente buscar a saúde e bem-estar. Esse caminho somente é possível, quando amparados de uma equipe de profissionais, que tem o conhecimento necessário para auxiliar nesse processo.

A reeducação emocional e alimentar é o caminho do sucesso para qualquer processo de perda de peso, pois o objetivo é aprender a comer de forma adequada, somente por fome, e sentir-se leve e tranquilo com as escolhas alimentares.

 http://www.dicasdemulher.com.br/dietas-rigidas-sao-contraproducentes/

Bom, vemos aqui claramente o quanto fazer dietas não funciona, ou melhor, pode até funcionar no momento, porém voltamos a ganhar o peso perdido.
Dessa forma a RA ainda é a melhor saida, e e´claro que cuidar da nossa cabeça, e redirecionar o desejo de comer para outras coisa, auxiliar no combate da compulsão e ansiedade.

Beijos
Luciana Kotaka

3 comentários:

Zica disse...

Para me ajudar na RA eu sempre penso nisso: preciso comer para dar sustento ao meu organismo e não para satisfazer desejos.

Quando como bem sinto como se meu organismo estivesse agradecendo pela alimentação cheia de nutrientes e pouco gordurosa.

É difícil, é um trabalho da mente, mas quando pensamos assim tudo fica mais fácil.

Beijocas.

Luális Rosa disse...

Concordo plenamente com você! A gente fica em busca de um resultado rápido, querendo perder em semanas o que levamos a vida inteira para ganhar. não existe mágica! Vou copiar este e texto e partilhar no blog. Muito Bom Bjos!!!

Suzana ... Feliz recomeço ! disse...

Lu,

Verdade, só mesmo a RA pra nos fazer mudar...mas é de dentro pra fora e com certeza mudar hábitos errados.

Dieta não funciona!

Amei o post.

bjs

Suzana