quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Estou triste e como




Como esses relatos são comuns, porque será que comemos quando estamos tristes?

Porém o contrário também é verdade, se estamos acima do peso também temos uma tendência a comer mais, pois afeta nossa auto imagem, nos achamos cada vez maiores, e isto desanima muito.

Nesse processo o que acaba acontecendo é um ciclo contínuo, onde um leva ao outro, tirando toda motivação para seguirmos com nossa reeducação alimentar.

Precisamos nesse momento em que detectamos que agimos assim criar forças para mudar, e nada melhor do que traçarmos metas reais e alcançaveis, para que desta forma seja possível valorizarmos cada passo alcançado, percebendo o sucesso de nosso empenho.

Como o peso é algo que carregamos, é preciso ver aonde erramos, se é somente algo decorrente de uma má alimentação (calorias vazias) ou  se outros gatilhos emocionais.

Quando sentimos que descontamos na comida nossas tristezas é prciso aprender a separar isso da comida, e desenvolvermos alguns comportamentos para sair desse ciclo.

Desta forma cada um vai ter que achar uma forma de afastar o mal estar:

- ampliar o circulo de amizades;
- sair a noite, ir ao cinema,dançar;
- ligar para uma amiga nessa hora em que a tristeza bate;
- tomar um banho relaxante para que possa sentir-se melhor e no controle da situação;
- não guardar em casa alimentos que pode colocar a RA a perder
- outros a serem desenvolvidos como estratégia.

Afinal, temos que aprender a colocar as emoções nos lugares certos, nada de preencher o que não está bem com a comida, lembrem-se disso.

Um beijo
Luciana Kotaka

2 comentários:

Suzana ... Feliz recomeço ! disse...

Lu,

Obrigada pela força e carinho. Vou seguir suas dicas, pois estou realmente precisando mudar meus hábitos.

Bjs
Suzana

Zica disse...

Eu percebi isso lá em casa. Parei de comprar coisas gordas e assim, mesmo quando tenho vontade, não tenho nenhuma guloseima para comer.

E é engraçado como esse lance emocional é totalmente ligado à RA. Eu e meu marido temos fome emocional.

O primeiro passo foi entendermos isso e agora estamos tentando mudar.

Obrigada pelas dicas.